A ferro e fogo: a história e a devastação da Mata Atlântica brasileira

Iniciamos nossas indicações bibliográficas com um livro incontornável do historiador ambiental norte-americano, Warren Dean. Fruto de mais de dez anos de pesquisa, o autor, um conhecedor profundo da realidade brasileira, nos abre os olhos ao processo de desenvolvimento econômico que devastou a Mata Atlântica brasileira.

Com ampla erudição, pesquisa em fontes de diversas naturezas, conhecimentos em Botânica, Antropologia, Geografia e Ecologia, Dean nos conta em linguagem clara, a história brasileira como uma grande tragédia vivida pela Mata Atlântica. É impossível compreender a História do Brasil sem uma reflexão sobre a exploração perdulária de seus recursos naturais, e a obra de Warren Dean é um manancial de temas ainda a serem pesquisados e compreendidos.

São 15 capítulos que se iniciam com o “funcionamento” desse ecossistema, para posteriormente definir a espécie invasora de maior impacto: os humanos. Ainda que a presença humana indígena apresentasse algum impacto, o foco é claramente negativo para a segunda leva de invasores, os europeus. A partir daí, somente cresceram os impactos irreversíveis à Mata Atlântica ao ponto de seu quase aniquilamento, não fosse por algumas intervenções preservacionistas, que o autor também nos relata. Tanto a luta pela defesa dos remanescentes desse bioma, como o quanto as próprias políticas de Estado para a área ambiental constituíam-se na prática em novos instrumentos de lucro sem efetividade contra ao caminho de destruição pelo qual a Mata Atlântica era empurrada em benefício de uns poucos.

Essa obra de Warren Dean já conta com boa fortuna crítica, nos limitando aqui a indicar algumas delas:

Uma longa resenha feita pelo historiador ambiental brasileiro José Augusto Drummond, foi publicada na Revista Estudos Históricos, Rio de Janeiro, n. 17, 1996. Podendo ser acessada pelo site:  http://cpdoc.fgv.br/revista

Outro trabalho indicado é o artigo “Os historiadores e as florestas: dez anos depois de A ferro e fogo”, do historiador ambiental Ely Bergo de Carvalho, publicando na Revista Esboços, do Programa de Pós-Graduação em História, da Universidade Federal de Santa Cataria, volume 12, número 13, 2005.  Podendo ser acessado pela internet no seguinte endereço:

http://www.periodicos.ufsc.br/index.php/esbocos/article/view/274.

DEAN, Warren. A ferro e fogo: a historia e a devastação da Mata Atlântica brasileira. Trad. Cid Knipel Moreira. São Paulo: Companhia das Letras, [1995] 1996.

Carlos Alberto Menarin é historiador ambiental e autor do livro “À Sombra dos Jequitibás : O Parque Estadual de Vassununga entre os Interesses Públicos e Privados, 1969-2005”.

Tags: , ,